10 recordes do mundo que Steve-O, de Jackass, diz ter

 

Todos reconhecemos que as acrobacias de Steve-O são de outro mundo, para além de dolorosas e até ridículas. No entanto, isso não lhe basta e ele quer o seu nome imortalizado no Livro de Recordes Mundiais do Guinness.

Steve-O é mundialmente conhecido pela sua participação no Jackass, tanto no programa da MTV como no cinema, e para entreter os seus fãs já fez as acrobacias mais perigosas, bem como os desafios mais estapafúrdios. Ele sabe que bateu vários recordes mundiais e agora exige ser reconhecido como o homem extraordinário e ousado que é.

Eis os recordes do MUNDO que ele diz ter…

1. Maior quantidade de picante derramado no olho

Numa programa de culinária especial com o chef Gordon Ramsay, Steve-O deitou molho picante no olho. Mas como era um molho seu, intitulado Steve-O’s Hot Sauce, ele diz que é um recorde que ninguém jamais bateu.

2. Maior número de acrobacias a cuspir fogo

Formou-se como palhaço profissional no Ringling Brothers e no Barnum & Bailey Clown College, e já fez muitas acrobacias diferentes ao executar o ato de cuspir fogo. Foi o primeiro homem a realizar uma cambalhota ao contrário enquanto cuspia fogo, bem como o único a realizar uma cambalhota à frente enquanto um patinador saltava por cima dele e cuspia fogo.

 

3. Pontapear o maior número possível de homens em diferentes países

Não só foi pontapeado na virilha por celebridades como Sophie Turner, mas em todos os lugares onde ele vai, os fãs pedem-lhe que ele lhes dê um pontapé nas partes “baixas”. Steve-O acredita que este elevado número de pontapés dados aos seus fãs deve ser reconhecido pelo Guinness.

4. Tatuagem de autoretrato mais conhecida

Steve-O afirma ter conhecido um homem na Austrália (o da esquerda) que tem a maior tatuagem da sua própria cara, mas o duplo Jackass afirma que a sua é a mais conhecida.

5. O autor do New York Times a beber mais água de um bongo

Muitos não sabem disto, mas ele foi também autor do livro Steve-O Professional Idiot: A Memoir, publicado pelo New York Times.
Com isto, ele recordou que uma vez bebeu toda a água de um bongo, e assim, quer ser reconhecido como o único escritor que o fez.