6 filmes que toda a gente deve ver pelo menos uma vez na vida

 

Não importa se és um cinéfilo assíduo: vai existir sempre um episódio da tua série favorita ou um filme que, por muito que gostes, não consegues compreender a 100%. E não te preocupes, porque isto já aconteceu a todos.

Nesta contagem decrescente, mostramos-te seis filmes espetaculares que nos fizeram explodir a mente, apresentando alguns mistérios que nem a mente mais brilhante foi capaz de decifrar. Prepara-te para embarcar numa viagem para os recantos mais profundos da imaginação humana.

1. Donnie Darko

Abrimos esta contagem com este fantástico filme cheio de mistério e ficção científica que para muitos é sobrevalorizado. O realizador Richard Kelly foi o responsável por nos fazer pensar, ao trazer o enredo, as suas enigmáticas personagens, o cenário e a música.

É uma longa-metragem que te leva a um elevado nível de confusão com as viagens no tempo, muito mistério, um homem vestido de coelho com um ar bastante assustador, um avião que se despenhou mesmo no quarto do protagonista e uma série de assassinatos. Todos estes detalhes fazem deste filme algo totalmente fora do comum.

2. V for Vendetta

 

O vigilante mascarado criado por Alan Moore é um dos enigmas mais concorridos nas conversas sobre cinema, porque a sua identidade é algo que até à data é desconhecido.

De acordo com alguns detalhes que podem ser deduzidos após a leitura da banda desenhada ou do guião do filme, diz-se que V poderia ser uma experiência genética, uma vez que era prisioneiro, e que durante o seu cativeiro foi forçado a ingerir substâncias radioactivas e a sofrer algumas mutações para o transformar numa espécie de sobre-humano, para não falar das torturas a que foi submetido.

Há muitos argumentos que os fãs têm apresentado, tais como que ele poderia ser uma mulher transexual ou que ele é um antigo membro do partido fascista. O que é uma realidade é que através do enredo do filme, a sua identidade é explicada de uma forma emocional e metafórica.

3. Pulp Fiction

O realizador Quentin Tarantino tem uma forma peculiar de contar histórias que o torna um dos melhores da indústria cinematográfica. Até à data existe um grande mistério em Pulp Fiction, um dos seus primeiros filmes: O que está dentro da pasta?

O seu conteúdo não é mostrado no filme e não há qualquer pista sobre o que possa conter. Na verdade, a única coisa que pode ser apreciada no momento em que é apresentada é um brilho estranho que emerge de cada vez que é aberta.

Roger Avery, um dos argumentistas, escreveu no guião original que dentro da pasta haveria diamantes ou ouro, mas a sua proposta foi rejeitada porque Quentin Tarantino considerou que tal conteúdo seria demasiado óbvio.

Obviamente, as teorias dos fãs sobre o que poderia conter não demoraram muito a chegar, pois alguns afirmaram que era um fato brilhante que Elvis Presley costumava usar, enquanto outros dizem que é o espírito de Marsellus Wallace.