8 dados curiosos sobre a estranha infância e juventude de Kim Jong-un

Enquanto que os comuns mortais brincavam com bonecos de acção ou saíam de casa para jogar futebol na rua com os amigos, o rapaz que viria a ser o líder da Coreia do Norte fazia coisas muito diferentes daquilo que é considerado normal.

 

A infância e a juventude de uma pessoa tão extremista como Kim Jong-un não poderia ter sido “normal”. Embora seja agora conhecido pelas políticas rigorosas que impõe ao estilo de vida dos norte-coreanos, ele costumava ser um rapaz apaixonado por vídeojogos e desporto.

Era assim que era a vida de excentricidade e luxo do líder norte-coreano antes de chegar ao poder, conhece-as melhor…

1. Aprendeu a conduzir aos 7 anos de idade

Tal como as tuas tias que te estavam constantemente a comparar aos teus primos, na Coreia do Norte sempre se exagerou o que um pequeno Kim Jong-un conseguia fazer desde muito jovem. Foi dito que ele aprendeu a conduzir um carro aos três anos de idade, mas isso é fisicamente impossível. O que é verdade, porém, é que aos 7 anos de idade conduzia veículos modificados para ele em propriedade familiar.

2. Brincava com uma pistola aos 11 anos

A partir dos 8 anos de idade começou a aparecer em propaganda com o seu uniforme militar e até os oficiais mais velhos tiveram de se curvar perante ele. Quando tinha 11 anos, já sabia carregar e disparar armas, pois transportava uma Colt americana .45 e para todos, este era outro símbolo do seu poder desde tenra idade.

3. Estudou com uma identidade falsa

Kim não estudou na Coreia do Norte, mas sim na Suíça. Sob um nome falso, ele mentiu ao dizer que os seus pais eram embaixadores norte-coreanos e assim, conseguiu passar despercebido entre os seus colegas de escola.

4. Era o “palhacinho” da turma

É incrível que alguém que é considerado um ditador tenha sido, nos seus anos de escola, o tipo mais responsável por fazer rir os colegas. As pessoas que estudaram com Kim lembram-se dele como um estudante que não era muito diligente, que tinha muitos amigos e que estava sempre a contar anedotas e a pregar partidas.