Cliente revolta-se com a exigência de um supermercado, que pediu que ela tapasse os calções com uma camisola

 

Uma cliente da rede de supermercados britânica Sainsbury decidiu expor a sua revolta no Twitter depois de um incidente ocorrido num dos supermercados da cadeia em Surrey, Inglaterra.

Lauren O’Connor, de 33 anos de idade, entrou rapidamente no supermercado com a mãe com o intuito de ir comprar gelados quando foi abordada por um funcionário a exigir que ela cobrisse os calções com a blusa.

De acordo com o funcionário, um homem tinha reclamado dos calções de Lauren, tendo dito “não saber se ela estava sequer a usar cuecas ou não”. A cliente, que trabalha como relações públicas, alegou que não havia um código de vestuário no estabelecimento, excepto a exigência do uso de máscara, que ela tinha colocada.

 

Lauren disse ter-se sentido humilhada em público e revoltada com o facto de as mulheres ainda serem policiadas pela forma como se vestem.

A britânica escreveu nas redes sociais: “É um padrão duplo. Os homens podem andar sem t-shirts nos supermercados e existem até pessoas a andar sem máscara nos mesmos, mas eu não posso andar de calções no calor do verão? Não faz sentido nenhum”.

A direcção da Sainsbury desculpou-se pelo incidente.