Drone militar ataca “de forma autónoma” várias pessoas

 

À moda do verdadeiro Terminator, um relatório do Conselho de Segurança das Nações Unidas revelou que um drone militar decidiu atacar várias pessoas na Líbia o ano passado, mas o estranho da situação é que o fez “autonomamente”, o que para muitos pode significar o início de uma guerra entre máquinas e humanos.

O conceito parece assustador…

Apesar dos esforços de vários países para proibir a utilização destes dispositivos por serem letais, o relatório revela que estes continuam a ser utilizados, embora não se saiba se o ataque deixou vítimas e não haja mais pormenores sobre o que aconteceu no ataque.

Trata-se de um drone STM Kargu-2, fabricado na Turquia, cujo objetivo é perseguir os soldados que fogem em retirada, pelo que estão programados para identificar alvos e eliminá-los.

 

Este tipo de dispositivo tem um sistema sofisticado de inteligência artificial que lhe permite agir autonomamente e identificar alvos por si próprios, incluindo humanos, o que obviamente tem um risco elevado porque as máquinas também podem estar erradas e há a possibilidade de haver uma confusão e escolher um civil em vez de um soldado inimigo.

O STM Kargu-2 foi concebido pela Defense Technologies Engineering and Trade Inc, em 2019, após o aparecimento da primeira geração em 2017. O mesmo pesa 7 quilos, pode permanecer em voo até meia hora e atingir uma velocidade de 145 km/h e, obviamente, está equipado com armas de fogo cujo potencial é letal.

Não há dúvida de que o futuro já nos apanhou.