Está comprovado pela ciência: o dinheiro traz felicidade

 

Temos sido enganados este tempo todo com todos aqueles que dizem que o dinheiro não nos pode trazer o verdadeiro bem-estar. A ciência tratou desse mito e assegurou-nos que existe uma relação entre experimentar a felicidade e ter um rendimento mais elevado.

Parece que o velho ditado que diz que “o dinheiro não traz felicidade” é apenas uma boa frase, mas na realidade as coisas não funcionam dessa forma. Um estudo científico recente conduzido por Matthew A. Killingsworth revelou que ter um elevado rendimento anual tem o potencial de melhorar a qualidade de vida das pessoas e aumentar a sua sensação de bem-estar.

Matthew é investigador na Wharton School of Business da Universidade da Pensilvânia e a sua análise económica intitula-se Experienced Well-Being Increasing with Income recolheu dados de cerca de 33.391 trabalhadores dos Estados Unidos.

Estes voluntários responderam a diferentes questionários através da aplicação Track Your Happiness e, desta forma, Killingsworth conseguiu reunir um total de 1.725.994 relatórios sobre os rendimentos e experiências destas pessoas.

A análise do investigador centrou-se em relacionar o impacto dos ganhos anuais dos empregados em dois itens principais: a sua experiência de bem-estar (como se sentiram em certos momentos da sua vida) e a sua avaliação do bem-estar (um reflexo da sua vida até agora).

 

Um estudo anterior de Angus Deaton e Daniel Kahneman, o último dos quais ganhou o Prémio Nobel da Economia em 2002, afirmou que apenas o bem-estar das pessoas que ganham 75.000 dólares ou mais por ano poderia ser afetado por um aumento ou diminuição do seu dinheiro.

Mas os resultados de Matthew revelaram, talvez para surpresa de quase ninguém, que ter um rendimento mais elevado aumenta a experiência e avaliação do bem-estar das pessoas, mesmo para aqueles que ganham menos do que os 75.000 dólares propostos pelo estudo de Deaton e Kahneman.

Killingsworth concluiu que existe uma relação linear verificável entre o aumento do rendimento e as experiências e avaliações de bem-estar das pessoas. Para além disso, mencionou que as pessoas associam o dinheiro ao sucesso profissional, o que é também um fator importante para a felicidade das pessoas.

Surpreendidos?