Estados Unidos são invadidos por minhocas tóxicas e lagartos gigantes

Estamos a aproximar-nos do final de 2020 e se achas que merecemos todos um bocadinho de descanso depois de tantas tragédias, as notícias que trazemos não são positivas.

 

Acontece que nos Estados Unidos, tem sido reportada a aparição de vermes tóxicos do tamanho de serpentes e de lagartos do tamanho de um cão (!) em vários estados do país.

Parece uma cena saída de um filme mas estamos a falar de mais de 100 avistamentos de minhocas deste género no norte da Georgia, sendo que algumas têm mais de 30 centímetros de comprimento. Fala-se também de um tipo de lagarto com um metro de comprimento que está a invadir vários estados do país…

Segundo um repórter da CNN, as minhocas gigantes são inquietantemente parecidas a uma serpente e são características pelas suas cabeças em formato de martelo.

James Murphy, agente de extensão agrícola da Universidade de Georgia, disse ao CNN que se tratam de vermes carnívoros que se alimentam principalmente de minhocas da terra. Sabe-se que também “se alimentam de outros invertebrados que vivem no solo” e que as suas bocas se encontram a metade da superfície inferior dos seus corpos.

Para tornar tudo mais desconcertante, consta-se que estes vermes produzem tetrodotoxina, a mesma neurotoxina mortal libertada pelo peixe-balão. Ainda que não exista investigação feita o suficiente para saber o porquê de estes vermes produzirem toxinas, acredita-se que possa ajudá-los a caças as suas presas ou a evitar que sejam eles próprios a presa.

Felizmente, parece que estes bichos não segregam toxinas suficientes para envenenar os humanos mas ainda assim, James Murphy avisou a população, uma vez que a tetrodotoxina não deixa de ser perigosa.

Por outro lado, o lagarto mencionado anteriormente é conhecido como teiú e é originário da América do Sul, tendo chegado aos Estados Unidos através do comércio de animais exóticos.

Até agora, já foram vistos estes lagartos em alguns estados como a Florida, Carolina do Sul, Alabama, Louisiana, Texas e Georgia. Segundo a National Geographic, estes répteis representam uma ameaça para os agricultores e espécies nativas, já que são muito difíceis de controlar depois de se terem apoderado de determinada área.

O teiú consumirá qualquer fruta ou verdura que esteja no solo, bem como os ovos de animais que encontre na área. Consta-se que as tartarugas, as serpentes e os crocodilos em vias de extinção correm um risco especial devido a estas criaturas.

Já chega, 2020.