Fábrica onde são feitas vacinas contra a COVID-19 incendeia

 

Parece que as más notícias não param de aparecer relativamente à vacina contra a COVID-19 desenvolvida entre a Universidade de Oxford e a AstraZeneca. Primeiro, tiveram problemas durante a fase de testes e agora, o edifício onde a mesma é produzida incendiou, ocasionando a morte de cinco pessoas que não conseguiram sair a tempo do desastre.

A Covishield, a vacina da AstraZeneca, estava a ser elaborada no Instituto Serum, na Índia pois este é o maior produtor de vacinas no mundo. O incêndio ocorreu numa área do complexo central, situado na localidade de Pune e ainda que ao princípio tivesse sido reportado que não existiam vítimas, porque o incêndio conseguiu ser controlado, acabaram por encontrar os corpos de cinco pessoas mais tarde.

De acordo com Prashant Ranpise, chefe de bombeiros na cidade, não foi possível estabelecer as causas do incidente. Para além disso, ele informou que foram encontrados cinco cadáveres e que foram resgatadas nove pessoas com vida. Infelizmente, os incêndios e desabamentos são relativamente comuns na Índia devido ao mau estado dos edifícios, à falta de manutenção e à corrupção que permite que algumas empresas continuem a operar sem tomar as precauções necessárias.

 

A respeito da vacina, Adar Poonawalla, presidente do Instituto Serum, informou que o incêndio não ia afetar a distribuição, já que este não é o único centro onde a mesma está a ser produzida. Na semana passada, foram entregues 5.6 milhões de doses para ser iniciada a campanha nacional de vacinação na Índia, o que será um trabalho titânico, porque no país habitam 1,350 milhões de pessoas.

A situação é lamentável.