Família encontra velhote a viver na rua e “adoptam-no”

 

Infelizmente há muitos idosos que vivem na rua, sem a segurança de terem uma refeição ou um local para dormir. Embora muitas pessoas lhes dêem uma moeda para satisfazer as suas necessidades básicas, isto não é suficiente, porque eles também precisam de amor e protecção, como demonstrou esta família oriunda de Torreon, Coahuila, no México, que nos deu um exemplo do que pode ser feito quando encontramos alguém que precisa da nossa ajuda.

Através do Facebook, uma mulher chamada Benita Dearz partilhou que encontrou o Sr. Felipe a vaguear pelas ruas da cidade, que se caracteriza pelas suas temperaturas elevadas, pelo que lhe ofereceu uma boleia para casa no seu carro. O Sr. Felipe pediu boleia para uma praça pública porque lá vive debaixo de uma palmeira e até brincou ao dizer que a sua casa “é muito grande”.

Enquanto estavam no carro, o homem disse-lhe que tinha 108 anos de idade, que tinha sido casado 3 vezes e que tinha 11 filhos. No entanto, agora está sozinho e vive na rua, embora não tenha dado mais pormenores sobre o porquê de ter acabado assim. Quando chegou, Benita deu-lhe algum dinheiro para comprar comida e depois partiu. A publicação tornou-se imediatamente viral, o que a levou a regressar no dia seguinte para procurar o Sr. Felipe.

 

Ela encontrou-o na praça e decidiu levá-lo a casa para jantar com a sua família. Para além disso, deu-lhe a oportunidade de tomar banho e deu-lhe roupa lavada, o que sem dúvida fez com que este homem se sentisse muito melhor. Aparentemente, todos gostavam uns dos outros, e assim, a família decidiu que o melhor a fazer era adoptar o Sr. Felipe e dar-lhe um lar, uma vez que na sua idade é desumano para ele andar a vaguear pelas ruas.

Mais uma vez, Benita levou tudo isto para os meios de comunicação social e pediu apoio com alimentos e vitaminas. Felizmente, muitas pessoas juntaram-se para ajudar, por isso agora o Sr. Felipe tem comida, um lugar seguro para viver e, mais importante ainda, a companhia e o afecto de uma família, algo que lhe faltava, especialmente numa idade tão avançada em que já não lhe é possível ter um emprego.

É justo dizer que a vida deste avô mudou completamente, porque agora não terá de andar pelas ruas para ver se alguém lhe vai dar uma moeda para comprar algo para comer, não terá de viver debaixo de uma palmeira e, embora não tenha uma “casa grande”, agora terá o calor de um lar com a sua nova família.