Guarda prisional faz buraco nas calças para “MARTELAR” com um recluso

 

Uma guarda prisional do sexo feminino foi presa depois de ter sido apanhada a “MALHAR” com um recluso.

Tina Gonzalez, 26 anos, trabalhava como oficial de correcção do condado de Fresno desde 2016, mas foi presa em maio de 2020 na sequência de uma investigação sobre a sua conduta.

O gabinete do Xerife foi informado, de forma anónima, de que uma reclusa tinha “efectuado o amor” com um recluso e que ela lhe tinha fornecido um telemóvel à socapa.

A investigação revelou também que, para além do telemóvel, Gonzalez tinha feito ainda contrabando de lâminas de barbear, que podiam facilmente ter sido usadas como armas.

Consta-se que Gonzalez terá feito um corte no seu uniforme para facilitar o acto com o prisioneiro, cuja identidade permanece anónima.

 

Gonzalez foi também acusado de ter “efectuado o amor” “à vista de todos” em frente de outros 11 reclusos.

O xerife assistente Steve McComas, que foi chefe de Gonzalez até ser despedida, disse ao The Fresno Bee que na sua carreira de 26 anos tinha visto e ouvido algumas “coisas bastante nojentas”, mas que este tipo de conduta atingiu o fundo.

Ele disse: “Isto é algo que só uma mente depravada poderia inventar”. Mais do que isso, Steven disse que Gonzalez não parecia estar arrependida pelas suas acções:

“Ela fez um juramento que traiu e ao fazê-lo, colocou em perigo a vida dos seus colegas de trabalho. E ainda assim, não mostrou remorsos. Ela telefona continuamente e tem conversas s*xualmente explícitas com o recluso em questão e gaba-se até dos crimes que cometeu”.

Ela foi sentenciada a dois anos de liberdade condicional e sete meses de prisão.