Homem gay solteiro adota menina com Síndrome de Down depois de ter sido rejeitada por 20 famílias

 

Um homem italiano gay, católico e solteiro tem recebido muita atenção e elogios online por desafiar estereótipos à volta da paternidade ao adotar uma menina com Síndrome de Down que já tinha sido rejeitada por 20 famílias.

Luca Trapanese, de 41 anos, vive em Nápoles e já deixou claro que tem orgulho de ser pai desta menina.

Luca adotou a sua filha Alba quando ela tinha apenas 13 dias, em julho de 2017. A mão de Alba deu a bebé para adoção devido à sua condição genética que pode causar múltiplas dificuldades cognitivas. Depois disso a criança foi rejeitada por 20 outras famílias que pretendiam adotar um bebé.

No entanto, Luca apareceu e foi feito para ser pai de Alba, uma vez que já trabalha com crianças com deficiências desde novo. Tem até a sua própria instituição de caridade, que oferece a estas crianças a oportunidade de socializar com outras crianças.

Ao falar com o BBC sobre a sua experiência de paternidade até agora, Luca diz: “Desde que tenho 14 anos que faço voluntariado e trabalho com crianças com deficiência, e por isso senti que tinha o conhecimento e a experiência para o fazer”.

“Quando a agarrei nos braços pela primeira vez, senti-me muito feliz,” continuou. “Senti logo que era a minha filha. Foi a primeira vez que peguei num bebé recém-nascido, antes desse momento tive sempre medo, mas quando peguei na Alba pela primeira vez soube que estava pronto para ser pai dela.”

Luca tem documentado a sua jornada no Instagram, onde já têm 272 mil seguidores.