Hugh Hefner consumiu tanta cocaína na Mansão da Playboy que até o cão do seu amigo ficou viciado

 

A Mansão da Playboy foi a casa do fundador da Playboy Hugh Hefner durante mais de quatro décadas, até à sua morte em 2017.

Nos anos que se seguiram, houve inúmeras revelações sobre as festas hedonistas que tiveram lugar regularmente na infame morada.

Como seria de esperar, o sexo e as drogas existiam em abundância – mas não eram apenas coelhinhos da Playboy que participavam… os cães também.

Sondra Theodore, uma das ex-namoradas de Hefner, disse que as drogas estavam tão disseminadas na Mansão que um caniche de estimação acabou por se tornar também ele um viciado em cocaína.

Em conversa na nova série documental Secrets of Playboy, ela disse:

“Havia drogas por todo o lado. John Dante era o melhor amigo de Hef e Dante tinha um cão, Louis, que era um caniche minúsculo que ficou viciado em cocaína. O cão conseguia cheirá-la do outro lado da sala”.

Ela continuou: “Uma pessoa muito famosa entrou na casa uma noite e aquele cãozinho saltou do sofá como um super cão, voou para aquela pessoa e estava a lamber-lhe o nariz.

“E ela disse: “[Este cão] adora-me”… e todos nós dissemos: ‘sim, claro’ [Nós] sabíamos porque é que aquele cão estava em cima dela. Ele teve de prender aquele cão quando as pessoas estavam por perto porque era viciado em cocaína”.

 

Sondra – que foi a namorada de Hefner de 1976 a 1981 – também disse que foi obrigada a ir buscar drogas para ele “inúmeras vezes”.

Ela disse: “Fez-me sentir como se eu fosse importante para ele. E dizia-me que tinha de fazer aquilo por amor. Tive medo de falar… o Hef usou cocaína. E usou mais do que isso – tinha uma gaveta cheia de drogas”.

O que dizer?