Idosa que faltou à vacina contra a COVID-19 estava morta em casa há 12 anos

A idosa Christina Malley faltou no dia em que tinha sido chamada para tomar a vacina contra a COVID-19 em Aberdeen, na Escócia. Quando a polícia foi à sua casa para a convocar, uma vez mais, para a imunização, no final do mês passado, descobriu um cenário de um verdadeiro filme de terror: os restos mortais da escocesa estavam a ser mantidos na residência pelo marido, e provavelmente já há mais de 12 anos, de acordo com o que foi possível analisar.

 

De acordo com a reportagem do Evening Express, Daniel Malley, de 78 anos, disse aos agentes da autoridade que manteve o corpo em casa porque não aceitava que a amada tivesse morrido. Uma fonte ligada à investigação sobre a trágica morte de Christina afirmou:

“Daniel disse que ela havia morrido de causas naturais há alguns anos. Ele disse aos agentes que ainda estava a lidar com a perda e que estava extremamente solitário. Ele não podia aceitar que ela tivesse partido, e assim, não queria deixá-la ir. Ele manteve o corpo em casa porque não queria separar-se da esposa em vida ou, infelizmente, na morte”.

Os vizinhos comentaram que costumam ver regularmente Daniel em bares e lojas da região, mas nunca com a esposa. Eles casaram-se em 1976 e 19 anos depois, mudaram-se para a casa onde os restos mortais de Christina foram encontrados.

A causa e circunstâncias da morte ainda não foram determinadas.

Bizarro.