Internautas inteligentes descobrem mensagem secreta no paraquedas do Preserverance que pousou em marte

 

Se quiseres resolver um enigma, basta colocá-lo na Internet porque haverá alguém que o vai fazer por ti. Os utilizadores no Twitter conseguiram adivinhar a mensagem secreta escondida no paraquedas utilizado pelo Rover Perseverance da NASA, que aterrou recentemente em Marte.

Durante a stream da aterragem em Marte, Allen Chen, o engenheiro responsável pelo sistema de aterragem, disse: “Por vezes deixamos mensagens no nosso trabalho para que outros as encontrem. Por isso, convidamo-vos a todos a tentar desvendá-la e a mostrar o vosso trabalho”.

Por volta de 6 horas mais tarde, o Twitter já tinha uma resposta.

O padrão branco e vermelho do paraquedas representa código binário – o vermelho é o 1 e o branco é o 0. Cada anel representa uma palavra da frase presente no enigma. Para a desvendar o código, é necessário dividir os zeros e os uns em 10 caracteres. e adicionar 64 para obter a letra em código ASCII.

 

O Twitter adivinhou, como foi confirmado pelo próprio engenheiro chefe do Preserverance, Adam Steltnzer. O engenheiro forneceu até um diagrama útil para ajudar as pessoas a compreender a posicionamento.

Mas exatamente quem é que resolveu o puzzle? Maxence Abela, um estudante de informática de 23 anos em Paris, telefonou ao seu pai, Jerome, acerca deste assunto. Jerome é um engenheiro de software na Google. O pai e o filho trabalharam juntos na resolução do enigma.

Várias pessoas no mundo inteiro também trabalharam no enigma, trocando ideias através do Twitter e do Reddit.

Abela publicou a sua resposta no Tweeter às 16h36, cerca de duas horas depois de Chen ter dado uma pista sobre o paraquedas.

“DARE MIGHTY THINGS.”

O lema citado no paraquedas é retirado do famoso discurso de Theodore Roosevelt, no qual ele diz: “É muito melhor atrevermo-nos a fazer coisas poderosas, para conquistar triunfos gloriosos, ainda que controlados pelo fracasso, do que assumirmos a posição daqueles com pobres espíritos que não gostam muito de nada nem sofrem muito, porque vivem no crepúsculo cinzento de quem não conhece vitória nem derrota”.