Itália propõe lei que proíbe a confeção de maus gelados

 

O Senado italiano está a considerar propostas para os produtores de gelados que não cumpram medidas rigorosas de qualidade, tais como a limitação da quantidade de ar adicionado à mistura. A multa poderá ir até 10.000€.

As propostas consideradas são para tentar resolver o problema dos vendedores que se fazem passar por “mestres do gelado” e vendem gelados que contêm mais ar do que os gelados normais.

No entanto, alguns vendedores argumentam que bombear ar para a mistura não é necessariamente sinónimo de um mau gelado.

 

Seis senadores dos partidos Democrata de centro-esquerda e Italia Viva propuseram o projeto de lei a fim de melhor regular o trabalho dos verdadeiros artesãos de gelados e proteger os direitos dos consumidores.

O projeto de lei também proíbe a utilização de certas alternativas mais baratas a ingredientes frescos, tais como sabores artificiais, corantes, e gorduras hidrogenadas.

O senador socialista Riccardo Nencini argumentou:

O gelado italiano é um dos símbolos gastronómicos do nosso país, juntamente com a massa e a pizza. Mas as nossas leis não preservam os gelados artesanais e os produtores que os produzem.