Jovem desenvolve condição rara nos pulmões por ter esgalhado o pessegueiro

 

Um jovem suíço de 20 anos foi hospitalizado de urgência no hospital Kantonsspital Winterthur durante 3 dias devido a uma condição rara que atingiu os seus pulmões, deixando-o com o rosto inchado, dores no peito e dificuldade de respirar.

Ao ser questionado sobre o que tinha acontecido antes de apresentar os sintomas, o paciente explicou que tinha esgalhado o pessegueiro, tendo causado espanto a toda a equipa médica. O caso, descrito como inédito, foi relatado na edição de maio da revista Radiology Case Reports.

“Apresentamos o caso de um jovem saudável que desenvolveu pneumomediastino e enfisema subcutâneo profundo com início durante o esgalhamento do pessegueiro. Como não há literatura sobre pneumomediastino espontâneo associado a experiências autoeróticas, consideramos nosso caso uma apresentação incomum dessa entidade”, afirmam os autores no relatório.

 

O rapaz, com 1.75 metros e 60 quilos, foi encaminhado ao serviço de emergência com dispneia intensa e dor torácica. De acordo com os médicos, ele disse ter sentido um “início súbito de dor torácica aguda seguida de falta de ar enquanto estava deitado na cama a esgalhar o pessegueiro” e negou o uso de drogas e tabaco, bem como a prática de exercício intenso. O seu historial médico incluía asma leve sem medicação e transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) tratado com Lisdexanfetamina.

A radiografia de tórax revelou enfisema subcutâneo e um TC ao tórax e pescoço mostrou pneumomediastino profundo, que acontece quando o ar fica preso entre os tecidos do corpo.

A condição surpreendeu a equipa pois, embora haja casos documentados após sexo ou uso de drogas recreativas, como ecstasy, este foi o primeiro registo de um caso de pneumomediastino espontâneo associado ao esgalhamento do pessegueiro