Ladrão aluga um carro, utiliza-o para roubar um banco e volta ao stand para comprar um BMW

 

Os criminosos sabem demasiado bem que não podem manter os lucros dos seus assaltos durante muito tempo, e este ladrão do Texas decidiu mesmo comprar um carro com o dinheiro que havia acabado de roubar.

Eric Dion Warren, 50 anos de idade, pensou que podia escapar impune: o homem chegou a um concessionário BMW, viu um veículo e fingiu que queria realizar um test drive. No entanto, ninguém imaginava para que é que ele iria utilizar o carro alugado…

Armado e pronto para o assalto, tendo uma mochila da Uber Eats às costas, Warren chegou a um banco AIM perto de Lubbock, Texas, e fingiu ser um entregador. Dirigiu-se a um caixa, colocou a mala no balcão e passou uma nota ao funcionário do banco, que dizia:

“Isto é um assalto. Brincas comigo e morres. Quero $10.000 em notas de $50 e $100 agora. Tens um minuto ou então mato-te”.

Warren tirou uma arma da sua roupa e mostrou-a ao homem caixa para que ele soubesse que não estava a brincar. O funcionário começou a colocar o dinheiro no saco, mas foi mais esperto que o ladrão e também enfiou um maço de notas de $20 com números de série registados.

O criminoso saiu do banco como se nada fosse, levando $5086 com ele, e voltou ao concessionária de automóveis para devolver o carro que havia alugado. Aparentemente, ele gostou muito do seu test drive e começou a falar com um vendedor sobre a compra de um BMW preto.

 

Enquanto Warren negociava a compra do seu novo carro, a polícia investigava o roubo e descobriu a matrícula do carro que ele utilizou para a fuga. Ligaram para a concessionária que tinha registado o veículo e confirmaram que o carro estava de volta à sua sucursal.

A polícia chegou e encontrou o criminoso ainda a tentar fazer a sua compra de um novo BMW…com o dinheiro roubado. Pararam-no e confirmaram com os números de série nas notas, correspondente à quantia roubada do banco AIM.

E a arma? Na realidade, era apenas uma arma de brincar que tinha sido alterada para se parecer com uma verdadeira. Warren tinha pensado em quase tudo, mas esqueceu-se que utilizar um veículo registado e controlado não era uma ideia assim tão boa.

Foi condenado e condenado a 20 anos de prisão.

Quase que lhe corria bem…