Mãe partilha aviso trágico a todos os pais depois de ter encontrado o filho morto ao acordar

 

Uma mãe recorreu ao Facebook para partilhar um aviso a todos os pais, ou a todos os que tenham crianças em casa, depois de certo dia ter acordado para se deparar com a morte do seu filho.

É o pior pesadelo de todos os pais mas Jennifer Ranger passou por isso e teve a força de partilhar a história na esperança de poder vir a salvar a vida de outras crianças.

Jennifer começou a sua publicação com um aviso e explica: “O meu filho teria 11 anos. Eu estaria a celebrar o seu 11º. aniversário no dia 1 de julho. E apesar de a nação inteira estar em festa, eu estou silenciosamente de luto”.

Relembrando-se da noite perfeitamente normal do dia 16 de outubro de 2008, a mãe escreveu: “Meti o meu filho de 2 anos na sua cama grande, que estava encostada a uma parede e tinha uma espécie de grade do outro lado. Aconcheguei-o e desejei-lhe boa noite”.

“Fui ver como ele estava por volta da 1 da manhã e vi-o a dormir de frente para essa grade mas ele continuava no meio da cama, por isso fui dormir. Um pouco depois das 8 da manhã, acordei e saí da cama. Ele não se estava a mexer, por isso fui preparar café e meti-me na casa de banho”.

A verdade é que o mundo dela estava prestes a desabar: “Fui ao quarto dele e ele não estava na sua cama. Comecei a entrar em pânico e encontrei-o entre a sua cama e a parede, com a sua cabeça em cima do colchão. Afastei a cama, peguei nele e passei pelo pior pesadelo de todos os pais”.

 

Jennifer explica que o seu filho tinha falecido por volta das 3 da manhã com asfixia postural.

Ela explicou: “Em termos leigos, ele ficou preso entre a cama e a parede e foi incapaz de se libertar”. Tal como muitas outras mães, Jennifer disse que pensava que estava a fazer tudo o que podia para manter o seu filho seguro, tendo meios para monitorizar o seu sono e os ritmos cardíacos.

“Toda a gente que conheci empurrava a cama dos filhos contra as paredes”, disse. “Ainda me consigo lembrar da sensação de culpa que me atingiu quando os serviços de emergência me disseram que a causa da morte do meu filho foi de ‘asfixia posicional como resultado de uma forma insegura de dormir’.

Partilhando a sua história com o mundo, ela quer salvar vidas e explica: “Se salvar a vida de apenas uma criança, já valeu a pena”.