Maiorca e Ibiza oferecem-se para receber turistas com passaporte de vacina

 

Maiorca e Ibiza ofereceram-se para experimentar receber turistas com passaportes de vacinas.

Iago Negueruela, o ministro do turismo das Ilhas Baleares – que incluiem Maiorca, Ibiza, Menorca e Formentera – propôs que as ilhas se tornassem um “destino piloto” para os passaportes.

Ao falar na sequência de uma reunião de ministros do turismo em Madrid, dia 19 de Fevereiro, afirmou: “Propusemo-nos a tornarmo-nos uma das primeiras partes de Espanha onde o passaporte da vacina é testado.”

“Mostrámos com o estudo-piloto do ano passado que podemos trabalhar eficazmente e a resposta do governo espanhol à nossa proposta foi muito positiva.”

“Vamos concentrar os nossos esforços a partir de agora em tornarmo-nos uma região líder na implementação de certificados de imunidade para facilitar a mobilidade”.

No ano passado, as Ilhas Baleares acolheram turistas alemães uma semana antes do levantamento das restrições nacionais como parte de um esquema experimental, e as ilhas estão contentes por serem, mais uma vez, as cobaias.

Negueruela acrescentou: “Isto significará que as Baleares voltarão a ser um dos primeiros destinos a abrir. Temos a experiência adquirida no ano passado com o plano piloto turístico.”

“As Baleares estão empenhadas no turismo seguro para todos aqueles que vêm e que vivem nas ilhas. É por isso que queremos um passaporte de saúde que permita um melhor controlo do acesso ao nosso território.”

“Demos hoje um passo decisivo para sermos pioneiros neste sentido”.

 

Isto vem depois do secretário de estado do turismo do país, Francisco Valdes, ter dito que estava “ansioso” por receber novamente os britânicos.

O governo britânico foi pressionado por empresas de viagens a adotar passaportes de vacina, com as restrições de bloqueio a devastar a indústria do turismo.

A Association of British Travel Agents (ABTA) escreveu ao primeiro-ministro Boris Johnson pedindo-lhe que aliviasse os aconselhamentos de viagem nas próximas semanas e meses.

A carta dizia: “Sabemos que é demasiado cedo para colocar uma data específica para o regresso das viagens internacionais e que haverá necessidade de flexibilizar a abordagem, mas o que precisamos são de alguns princípios para reiniciar as viagens – reconhecendo que o regresso à vida normal nunca será totalmente livre de riscos”.

No entanto, o governo já declarou anteriormente que não serão instaurados tais passaportes.

Ao ser questionado pela SkyNews se estes passaportes estavam a ser considerados, Nadhim Zahawi, o ministro do Comércio e Indústria e da implantação da vacina Covid, disse: “Não, não estamos. Primeiro, não sabemos o impacto das vacinas na transmissão.”

“Segundo, seria discriminatório e penso que a coisa certa a fazer é assegurar que as pessoas se apresentem para serem vacinadas porque querem, em vez de se tornarem de alguma forma obrigatório através de um passaporte.

“Se outros países exigirem alguma forma de prova, então pode pedir ao seu médico de família porque o seu médico manterá os seus registos e isso poderá então ser utilizado como prova de que a vacina foi tomada.”

“Mas não estamos a planear ter um passaporte no Reino Unido”.