Mercedes apresenta um incrível automóvel futurista que pode ser controlado com o cérebro

 

Desde sistemas que criam uma banda sonora única para cada viagem até carros que te apoiam na condução, os desenvolvimentos tecnológicos nos carros estão a tornar-se cada vez mais incríveis. Agora, o que a Mercedes-Benz está a fazer vai certamente deixar-te boquiaberto. Na IAA Mobility 2021, que ocorreu na Alemanha, a marca revelou alguns dos conceitos para o Mercedes Vision AVTR, um carro com o qual podes interagir utilizando apenas… o teu cérebro.

Antes de entrarmos em pormenores, vamos desde já dizer-te que este não é um carro que poderás conduzir com a mente, mas que poderás desempenhar no mesmo várias funções básicas apenas por pensares nelas. Parece-te futurista que chegue?

O seu design é puramente inspirado em ficção científica, razão pela qual é tão semelhante aos carros que vemos nos filmes, mas a verdade é não perde o estilo elegante a que a Mercedes nos habituou com cada uma das suas entregas.

A verdade é que o que mais brilha aqui é a sua tecnologia BCI, que permite que mudes a estação de rádio ou a música que está a dar, a cor da iluminação interior e até definir o endereço de destino no GPS só pelo pensamento.

Parece algo que ainda está muito fora de alcance e a Mercedes está ciente disso, tendo indicado que a tecnologia poderá estar pronta dentro de algumas décadas. Mas quanto tempo é preciso esperar?

 

De acordo com o conceito que apresentaram, este processo funcionará através de uma espécie de capacete ou fita de cabeça que será colocada na cabeça e ligada fisicamente por eletrões ligados à parte de trás da cabeça. O capacete é concebido para registar a atividade cerebral do condutor.

Uma luz sairá do painel de instrumentos dando um estímulo ao condutor, que será monitorizado pelo capacete. Uma vez ligado (um processo que pode demorar cerca de um minuto), o sistema do carro será ligado aos estímulos do condutor. O capacete analisará as ondas cerebrais e as regiões que são ativadas para definir qual a função que o condutor selecionou nesse momento.

Isto pode ser uma notícia incrível, especialmente para aqueles que odeiam estar sempre a carregar em botões para mudar a estação de rádio ou terem de estar sempre a ajustar o AC, por exemplo.

Embora ainda não tenha sido estabelecida uma linha temporal sobre quando tal tecnologia estará disponível, parece ser uma proposta interessante para colocar nos carros do futuro.

Veremos o que o futuro nos reserva…

Expectantes?