Miúdo de 9 anos é o mais novo traficante de cocaína de sempre

 

Pensa-se que um rapaz da escola primária é o mais jovem traficante de cocaína de sempre da Grã-Bretanha.

A criança, com nove anos, foi apanhada pela polícia por posse da droga com intenção de fornecer, de acordo com o Mirror.

O jovem não podia ser acusado porque tinha menos de 10 anos, que é a idade legal de responsabilidade criminal em Inglaterra e no País de Gales.

Acredita-se que o rapaz anónimo foi manipulado para transportar a droga por um irmão mais velho, amigo ou mesmo um dos pais.

Diz-se que este rapaz se encontra entre os milhares de menores de 10 anos que se encontram envolvidos em crimes graves em Inglaterra e no País de Gales.

Nos últimos cinco anos, houve cerca de 16.000 relatos de crimes relacionados com suspeitos com idades compreendidas entre os nove anos e os mais novos, registados por agentes.

 

O Mirror reportou que o número real de menores de 10 anos que cometem crimes (ou, pelo menos são forçados a fazê-lo) é provavelmente ainda mais elevado, uma vez que apenas 29 das 43 forças policiais entregaram as informações solicitadas.

Junior Smart, que foi nomeado pelo seu trabalho anti-gangues com o St Giles’ Trust e que fundou o Projeto SOS de St Giles, falou sobre a sua descrença: “Quando comecei a fazer isto, há 15 anos atrás, fiquei chocado com a quantidade de jovens de 10 anos metidos nisto.”

“Agora, nem sequer pestanejo. Eles são cada vez mais pequenos.”

“Eles são usados para transportar as drogas para um membro da família ou amigo. Uma das coisas mais comuns que estas crianças me dizem é que “pensávamos que estas pessoas se preocupavam connosco”.

Junior, que ele próprio é um ex-criminoso, acrescentou: “Desde que o Covid apareceu, milhares e milhares de famílias ficaram desempregadas e que não têm direito a subsídios.

“Se eles virem uma forma de ganhar dinheiro, correrão esse risco. Desde que a pandemia começou, temos visto ainda mais crianças exploradas por gangues de droga.”

Jo Shiner, chefe da polícia de Sussex e chefe do Conselho Nacional de Chefes de Polícia para as crianças, disse: “Quebrar o ciclo de envolvimento de crianças em atividades criminosas é uma área chave para todas as agências envolvidas.”