Momento aterrorizante em que um piloto foi sugado para fora de um avião a 7000 metros de altura e foi salvo pelo assistente de bordo

 

Os utilizadores das redes sociais ficaram em choque depois de saberem da história incrível do capitão Tim Lancaster – um piloto da British Airways que foi sugado para fora do cockpit a meio do voo e sobreviveu para contar a história.

Um utilizador do Twitter partilhou as fotos da reencenação do que aconteceu, e escreveu: “Em 1990, a janela de um avião caiu e e um dos pilotos foi sugado para fora, então tiveram que lhe agarrar as pernas até que o avião aterrasse.”

Tim Lancaster estava a voar de Birmingham, Inglaterra, para Malaga, Espanha, em Junho de 1990 quando as 6 janelas do cockpit se despedaçaram enquanto sobrevoavam Oxfordshire.

A força fez com que Lancaster fosse projetado do seu assento e arrombou a porta do cockpit, quase deitando ao chão o assistente de bordo Nigel Ogden.

Felizmente, Ogden conseguiu chegar ao cockpit a tempo de agarrar as pernas de Lancaster precisamente no momento em que estava a ser sair para fora da janela.

Ogden começou também a escorregar para fora da janela, mas um segundo membro da tripulação, John Heward, foi a correr para o cockpit e agarrou-o pelo cinto, antes de outro assistente de bordo se prender à cadeira do piloto e ajudar a agarrar a corrente de pessoas.

Entretanto, Lancaster tinha sido exposto aos elementos fora do avião, enquanto tentava sobreviver a 7000 metros de altura. O copiloto Alistair Atchinson assumiu o controlo do voo, enquanto gritava “Mayday!Mayday!” pelo rádio.

 

Ogden disse ao Sydney Morning Herald: “Vi que as janelas da frente tinham desaparecido e que o Tim, o piloto, estava a sair por uma delas – tinha sido sugado do seu cinto de segurança e eu só lhe conseguia ver as pernas.”

“Eu agarrei-o à volta da cintura para evitar que saísse completamente.”

“A camisola dele já lhe tinha saído das costas e o corpo dele estava dobrado sobre a parte superior do avião.”

“As pernas dele ficaram presas na parte da frente, desconectando o piloto automático, e a porta de voo estava pousada sobre os controlos, fazendo com que o avião a caísse a quase 650 km/h num dos céus mais congestionados do mundo”.

Continuou: “Pensei que o íamos perder, mas ele acabou por ficar numa posição de U à volta da janela.”

“A cara dele estava a bater contra a janela e estava a deitar sangue do nariz e da cabeça, os braços dele estavam a descamar e pareciam ter 1.80 m cada um. O mais aterrorizador foi que os olhos dele estavam abertos. Nunca vou esquecer o olhar dele.”

O incrível copiloto Atchinson conseguiu controlar o avião e aterrar no Southampton Airport, onde a tripulação foi recebida peles serviços de emergência.

O mais surpreendente é que Lancaster conseguiu sobreviver ao incidente, apesar de ter fraturas e queimaduras por congelação.

A história chocante foi o tema de um documentário chamado Air Crash Investigation – Blow Out, que apresenta uma recriação do que aconteceu e foi passado no National Geographic em 2005.