Mulher chamada Corona reclama de bullying durante a pandemia

 

Era para se chamar Sarah ou Carolin mas os pais resolveram dar-lhe o nome de Corona. E em 2020, deve ser muito complicado ter este nome.

Corona Newton, residente na zona de Manchester, Inglaterra, diz ser vítima de chacotas desde que se entende por gente. Se primeiramente era devido à cerveja, agora o paradigma mudou com a pandemia.

“As pessoas chamavam-me de Guinness e Budweiser”, disse a inglesa ao Daily Star.

 

Com a pandemia do coronavírus, o bullying tornou-se ainda mais intenso e cruel. A funcionária pública, de 49 anos, afirma que as pessoas agem com desdém ao tomarem conhecimento do seu nome.

“As pessoas dizem-me: ‘Como se fosse ouvir alguém com o nome de um vírus'”, explicou ao mesmo jornal.

A mãe de cinco filhos também é alvo de telefonemas desagradáveis, que pedem que ela confirme o seu nome ao perguntar: “É aquele vírus?”

Corona também disse que enquanto levava a sua filha para uma consulta no dentista, recebeu um telefonema de um homem que começou a gozar com ela devido ao seu nome: “Um estranho ligou-me e disse: ‘Qual é a sensação de ter f*dido o mundo todo?”

Esperemos que a sua situação se reverta.