Mulher faz mais de 3 mil euros/mês a vender vídeos seus a peidar-se

 

Emma Martin, de 48 anos de idade e que trabalhava comoagente de viagens, já faz vídeos a peidar-se desde o ano de 1999 e cobra agora cerca de 4 euros por mês para que as pessoas vejam o seu conteúdo exclusivo.

A sua dieta é especificamente concebida para a ajudar a peidar-se de forma eficaz. Ela explicou: “Eu como muita salada, espargos e abacates. Também como muita comida mexicana. Um dos meus favoritos é salada de repolho e feijão cozido misturados, também como muito disso”.

A mãe de dois filhos, oriunda de Rock Hill, Carolina do Sul, tem o cuidado de só gravar os seus vídeos quando a sua família não está em casa. Ela continuou: “O meu marido sabe, mas não gosta nada de peidos. Ninguém mais na minha família sabe. Penso que não iam aprovar, mas eu sou uma mulher adulta”.

Emma utiliza principalmente o website OnlyFans, com o nome de utilizador @FartinTart, mas também vende vídeos feitos à medida para os seus seguidores mais dedicados através de Clips4sale e PayPal. Os seus vídeos personalizados custam 6 euros por minuto.

 

Emma tem actualmente cerca de 300 subscritores no OnlyFans, sendo que no total, recorrendo à plataforma e vendendo vídeos privados, faz cerca de 3 mil euros por mês.

Ela disse: “Quando ouvi falar de fetiches de peidos pela primeira vez, fiquei tipo, ‘Ew, o quê? Isso não pode ser um fetiche. Mas depois entrei nele. E é muito fixe. É um fetiche bem escondido e secreto'”.

Ela afirma que a maior parte da sua base de fãs cai em dois grupos sociais: “Metade são profissionais de colarinho branco à procura de vídeos personalizados onde eu direi os seus nomes e farei coisas que eles têm vergonha de pedir às suas mulheres e a outra metade são tipos na casa dos vinte anos que apenas me seguem no OnlyFans”.

Ela só criou uma conta no OnlyFans em janeiro de 2021, mas já faz sessões via webcam há mais tempo do que alguns dos seus subscritores estão vivos.

“Comecei no mundo do camming em 1999, enquanto trabalhava como agente de viagens”, recordou ela.

Fazias ideia que este tipo de conteúdo existia?