Mulher faz o seu próprio “papel higiénico” e lava-o uma vez por semana

 

Uma mãe decidiu fazer o seu próprio papel higiénico reutilizável, acabando com os quase 300 rolos de papel higiénico que a família gastava todos os anos.

Kelsey Leverton, de 42 anos, começou a fazer os seus próprios toalhetes reutilizáveis há três anos, numa tentativa de reduzir o uso excessivo da família de 288 rolos por ano.

Kelsey, uma assessora de exercício comunitário, decidiu tentar usar um rolo caseiro e ecológico depois de ouvir falar sobre isso na rádio.

Ela disse: “Ouvi alguém na rádio falar de toalhetes reutilizáveis e foi um verdadeiro “abre olhos”.” Pensei: “Eu consigo fazer isto, é fácil”.

“Pensei em como a minha mãe usava toalhas quando éramos bebés como fraldas laváveis e pensei que seria o material ideal. Além disso, ajuda que nenhum de nós seja reticente em relação a esta ideia.”

Ela comprou um metro quadrado de tecido e cortou-o em 50 tiras, que ainda hoje são as mesmas – apesar de serem lavadas 150 vezes.

Os toalhetes estão num cesto ao lado das sanitas da casa da família em Fleckney, Leicestershire, e uma vez usados, são despejados num pequeno caixote de lixo que é perfumado com óleos essenciais.

Kelsey disse: “Eu uso aromas frescos como laranja, limão, hortelã-pimenta ou incenso. Apenas coloco algumas gotas no fundo dos cestos e eles não cheiram mal.”

No final da semana, os toalhetes são colocados num saco de rede e lavados a 40 graus – “é como ter alguns pares de meias extra para separar.”

 

A mãe de duas disse que as suas filhas Neave e Willow não estavam inicialmente a favor da ideia, mas entretanto já mudaram de ideias e agora já os usam.

Kelsey disse: “As minhas filhas torceram um pouco o nariz no início. Mas quando experimentaram, disseram que até são muito suaves e não tão maus como pensavam que seriam.”

“A Neave não gosta que sejam secas na máquina, porque ficam duras e ásperas. Por isso, certifico-me de que as seco naturalmente.”

Quanto aos convidados – Kelsey diz que alguns aceitam a ideia enquanto outros ficam um pouco enojados.

“Alguns convidados disseram não gostar e outros ficaram interessados e começaram a fazer perguntas”, disse Kelsey.

“Ainda temos uma pequena quantidade de rolos de papel higiénico para o “número dois”. Isto também significa que existe uma opção para os convidados.”

A família foi também uma das muito poucas no Reino Unido que não foi afetada pelo pânico do ano passado, que esvaziou as prateleiras dos supermercados despidas dos rolos de papel higiénico.

Ela brincava: “Com as pessoas à luta por rolos de papel higiénico, parece que estamos muito à frente.”