Mulher fica em pânico depois do homem que lhe ia arranjar o telemóvel ter passado 15 minutos a ver fotografias íntimas suas

 

A polícia fez uma visita a uma loja de telemóveis depois de uma cliente do sexo feminino ter apanhado um trabalhador masculino assustador a fazer scroll a centenas de fotografias íntimas suas – e pior, não podem fazer nada quanto a isso.

Louise Johnson, de 28 anos de idade, levou o seu iPhone 11 para ser consertado depois do ecrã e da bateria terem sido esmagados quando o deixou cair no chão.

Ela concordou em pagar cerca de 100 euros pelo arranjo do telemóvel no The Mobile Doctor, em Worcester.

Quando chegou a altura de Louise o ir buscar, apanhou um trabalhador do sexo masculino a olhar para fotografias íntimas dela em roupa interior e bikini que tinha tirado para o seu namorado.

Ela afirma ter agarrado o telemóvel, mas diz que o homem o roubou de volta e lhe arranhou a mão. Louise chamou a polícia que assistiu e confirmou que a CCTV mostrou o homem a olhar para as fotografias durante 15 minutos.

Mas os agentes estavam impotentes para agir devido a um tecnicismo na lei, porque o homem não tinha descarregado ou partilhado as imagens.

 

Louise explicou: “Assim que entrei, vi-o a desbloquear o telemóvel e a pô-lo de lado, mas vi o meu papel de parede, por isso soube que era meu. Perguntei se o meu telefone estava pronto, e ele disse-me que seria mais uma hora, pois alguém tinha de vir e terminar de reparar o ecrã”.

“Mas eu sabia que ele tinha estado a mexer no meu telemóvel, por isso pedi que o devolvesse, vi o que ele tinha aberto e percebi que ele estava a olhar para todas as minhas fotografias de há anos atrás. Algumas delas eram muito pessoais, incluindo fotografias em bikini e roupa interior que tinha tirado só para o meu namorado”, disse.

Ela alega ter-se sentido “violada”. Falando sobre as autoridades, ela disse: “Quando perguntei o nome do homem à polícia, recusaram-se a dá-lo devido às regras do GDPR”.

O trabalhador em questão acabou por ser despedido do The Mobile Doctor.