O fenómeno das mamãs influencers que expõem os filhos na internet para angariar seguidores

 

As redes sociais tornaram-se o local preferido para muitas pessoas partilharem tudo o que se passa nas suas vidas (ou pelo menos a parte boa). Pouco a pouco, a privacidade foi desaparecendo e é exposta com fotografias, vídeos e stories dos locais que visitamos, e para alguns pais que cresceram com o desenvolvimento da tecnologia e da comunicação, é comum tirar fotografias dos filhos para partilhar nas redes sociais, uma prática também conhecida como sharenting, um anglicismo que vem de partilha (sharing) e de parentalidade (parenting).

Uma fotografia do aniversário de um bebé pode não afetar ninguém, mas quando os pais tornam pública a vida dos seus filhos para que estes sejam apreciados, as coisas mudam Um desses casos é Jordan Cheyenne, uma famosa mãe youtuber, que tem sido acusada de explorar o seu filho nas redes sociais para obter reacções e seguidores.

Jordan estava com o seu filho a gravar um vídeo a partilhar a notícia de que o seu cão tinha sido diagnosticado com parvovírus. A mãe solteira procurava a moldura perfeita para usar na sua thumbnail, mas ao fazer o upload do vídeo para o YouTube, esqueceu-se de uma coisa importante: remover a parte em que instruiu o seu filho a “agir como se ele estivesse a chorar”.

 

O vídeo, intitulado “Temos o coração partido”, foi fortemente criticado devido à manipulação exercida sobre o bebé.

Outra “mãe moderna” ensinou às mamãs e aos papás algumas das técnicas que tinha desenvolvido para utilizar com os miúdos, tais como cobrar ao seu filho de 7 anos a conta da luz e da internet, que ele tinha de pagar com as tarefas domésticas. No seu sistema, a criança recebia um dólar por apanhar a roupa, limpar o jardim, entre outras actividades. Algumas foram para as suas poupanças e outras para pagar as contas que chegavam todos os meses.

Infelizmente, o excesso de informação privada exposta nas redes sociais está a causar um grande problema na sociedade de hoje. O roubo de identidade tornou-se mais fácil, uma vez que nos perfis das pessoas é possível encontrar nomes completos, moradas, escolas onde estudam, fotografias e números de telefone.

É realmente um problema.