O MAIOR [email protected]ÃO humano tem 20 cms de comprimento e é de um rei do século IX

 

O maior [email protected]ão humano do qual existe registo pode surpreender-te, chocar-te e repelir-te.

Na verdade, o mesmo é tão infame e venerado que está alojado num museu e foi até comparada a jóias da monarquia britânica tão valiosas como as jóias.

O coprólito da Lloyds Bank é um excremento humano que remonta ao século IX e os estudos têm sugerido que o mesmo pertenceu a um homem viking.

O cocó histórico, que é referido na comunidade científica como uma grande paleofa, ou um coprólito, foi descoberto no Reino Unido em 1972. Os arqueólogos do York Archaeological Trust estavam a escavar uma área que em breve se tornaria a filial de York de uma Lloyds Bank. E foi lá que se depararam com este incrível achado.

 

Como conseguiram distingui-la entre apenas pedras e outros itens encontrados na terra é o palpite de qualquer um, mas o espécime foi entregue a funcionários que fizeram alguns testes e com eles, conseguiram fazer algumas descobertas muito interessantes.

Em primeiro lugar, as coisas importantes:

O mesmo tem 20cm de comprimento e 5cm de largura, o que é absolutamente escandaloso quando se pensa que conseguiu sair do traseiro de alguém intacto desta forma.

Depois, os investigadores descobriram ainda o que o homem estava a comer antes de ter feito esta proeza. Conseguiram descobrir que o cocó era derivado de uma dieta principalmente de carne e pão e o exterior era descrito como “húmido e turfoso”.

Gill Snape, um estudante de conservação num estágio no York Arcaeological Trust, disse: “Quem quer que o tenha passado, provavelmente não tinha ido ao trono durante alguns dias, digamos assim. Este tipo tinha muito prurido as entranhas”.

Eles consideram que estas fezes pertenciam a um viking porque York era formalmente um povoado viking na época.

Grande, grande obra.