Pai muda a filha de escola depois da professora ter rapado o cabelo à filha sem o seu consentimento

 

Um pai transferiu a sua filha biracial de sete anos para outra escola depois do seu cabelo ter sido cortado em duas ocasiões separadas sem o consentimento dos pais.

Quando Jurnee Hoffmeyer chegou a casa da Escola Primária Ganiard com o seu cabelo cortado de um lado, disse ao pai, Jimmy Hoffmeyer, que um colega de turma lhe tinha cortado o cabelo com uma tesoura enquanto ela estava no autocarro da escola.

Foi apresentada uma queixa à diretora da escola e Jurnee foi levada ao cabeleireiro para que o seu cabelo fosse arranjado. Apenas dois dias depois, Jurnee chegou a casa com o cabelo do outro lado da cabeça cortado.

O pai disse:

“Ela estava a chorar. Estava com medo que eu ralhasse com ela por ter cortado o cabelo.”

“Perguntei o que tinha acontecido e disse: “Pensei ter-te dito que nenhuma criança te devia cortar o cabelo.” Ela disse “mas pai, era a professora.” A professora cortou-lhe o cabelo para o equilibrar.

Segundo Hoffmeyer, a escola contactou a família após o incidente do autocarro e explicou que “a menina roubou a tesoura da secretária da professora, e eles iam falar com os pais e tratar do assunto.”

 

Após o segundo incidente, a diretora disse a Hoffmeyer que o castigo mais severo que a professora que cortou o cabelo de Jurnee receberia, seria uma nota no seu processo.

Numa declaração divulgada na terça-feira, 20 de Abril, a Superintendente Distrital Jennifer Verleger confirmou a história de Hoffmeyer, dizendo que o cabelo de Jurnee foi cortado sem autorização dos seus pais e sem consultarem com os administradores da escola.

Verleger, que também confirmou que a professora de Jurnee tinha conhecimento dos planos da professora da biblioteca para o corte de cabelo, disse:

Independentemente das suas boas intenções, estas ações foram inaceitáveis e mostram uma falta de julgamento por parte das nossas duas funcionárias. Ambas estão a ser revistas para novas ações disciplinares, de acordo com as políticas e procedimentos escolares.

Hoffmeyer está agora a trabalhar em conjunto com a União Nacional de Pais (NPU), uma rede nacional de organizações de pais e ativistas que trabalham para melhorar a qualidade de vida das crianças.