Pedófilo implora por perdão em direto para a TV depois de ser quimicamente castrado

 

Um pedófilo condenado apareceu na televisão a explicar a quantidade de dor envolvida após ter sido submetido a castração química forçada. O incidente ocorreu no Cazaquistão e tem dado muito que falar.

O estado ex-soviético introduziu leis mais duras para todos os homens considerados culpados de crimes sexuais infantis. A castração química envolve uma injeção comum e vai continuar a ser aplicada mesmo depois de cumpridas longas penas de prisão.

Um pedófilo disse na televisão: “Eu sei que é prejudicial para o meu corpo. Sei que irá afetar a minha saúde no futuro”. Um segundo acrescentou: “Agora, lamento realmente ter cometido um tal crime”.

 

Esta campanha através das televisões e das redes sociais foi concebida pelas autoridades para instaurar o medo a qualquer potencial agressor sexual masculino que esteja a considerar cometer tais crimes.

Outro condenado explicou: “Pelo meu exemplo, quero mostrar aos homens que não devem cometer tais crimes terríveis. Peço a todos aqueles que me prescreveram a castração química que cancelem a vossa decisão”.

A política de tolerância zero do Cazaquistão inclui a publicação de fotografias, nomes e endereços de todos os agressores sexuais de crianças após a sua libertação da prisão.