Polícia vira carro com mulher grávida ao contrário porque ela não encostou rápido o suficiente

De forma completamente sinistra, um agente da autoridade está a ser processado por ter virado o carro de uma mulher grávida, tudo porque alegadamente ela não encostou suficientemente depressa.

 

Confere:

Nicole Harper estava a conduzir perto de Jacksonville, Arkansas, em junho do ano passado, quando reparou que tinha um carro de polícia atrás de si a pedir-lhe para encostar.

Ela ligou os quatro piscas e abrandou para tentar encontrar um local decente para encostar. De acordo com Nicole, ela estava a conduzir em direcção a uma rampa de saída porque a berma da auto-estrada era alegadamente estreita demais. Ela afirma que não lhe foi dado tempo suficiente para parar, apesar de o agente Rodney Dunn ter feito sinais de luzes durante dois minutos.

A visão do carro do agente Dunn mostra-o a aproximar-se do lado esquerdo do veículo da Sra. Harper e a “capotá-lo”, num procedimento chamado de Técnica de Imobilização de Precisão (PIT). Isso fez com que o SUV vermelho se inclinasse para a esquerda e fosse esmagado contra uma divisória de estrada.

Nicole pode ser ouvida nas filmagens do painel de instrumentos a gritar que está grávida.

O agente Dunn respondeu dizendo a Harper algo como: “Foi aqui que acabaste”, tudo porque ela não parou suficientemente depressa. A polícia afirma que Nicole estava a tentar ‘fugir’ do agente e que ela era um perigo para os outros condutores.

Desde então, Nicole iniciou uma acção judicial contra o agente Dunn e a Polícia Estatal do Arkansas.

O Instituto Mises relata que o processo legal foi apresentado ao departamento de polícia por “ter utilizado negligentemente uma manobra PIT e ter colocado em risco a sua própria vida e a vida do seu filho por nascer”.

Ela também alegou que o departamento não ensinou correctamente a manobra a Dunn e que ele não verificou quem estava dentro do carro antes de tentar a manobra.

O que dizer?