Presidente que dizia que a vodka evitava a COVID-19 apanha coronavírus

 

O actual presidente da Bielorrússia Alexander Lukashenko foi diagnosticado há poucos dias com COVID-19, sendo que o líder do país, com 65 anos de idade, disse em tempos que “o consuma de vodka é capaz de evitar que as pessoas sejam infectadas pelo coronavírus”.

 

Lukashenko costumava declarar várias vezes que 50ml de vodka seriam suficientes para afastar o coronavírus. Segundo ele, frequentar saunas também seria capaz de proteger as pessoas.

Em abril, o presidente disse que ninguém ia morrer por causa do novo coronavírus no país e voltou a negar a necessidade de uma quarentena severa, como aquela adoptada pela maioria dos países na tentativa de tentar combater possíveis surtos de COVID-19.

De recordar que o presidente foi muito criticado por ter continuado a praticar o seu desporto favorito, hóquei no gelo, durante esse período. Ele disse: “Ninguém vai morrer de coronavírus no nosso país. Eu declaro isso publicamente. Nós já encontrámos várias combinações de medicamentos para salvar as pessoas”, disse o presidente.

A Bielorrússia já teve 67 mil casos confirmados de COVID-19, com 538 mortes. Lukashenko está no poder desde 1994.