Professores homens usam saia para dar aulas depois de um aluno ter sido expulso por ter ido para a escola com uma

 

Os professores em Espanha estão a ir de saia para a escola para contrariarem os estereótipos de género no país.

Vários professores têm usado uma saia para a sala de aula como parte do movimento “Clothes Have No Gender” – ou #laropanotienegenero – depois de um rapaz ter sido expulso por usar uma saia no ano passado.

Os professores Manuel Ortega, de 37 anos, e Borja Velazquez, de 36, são dois dos que decidiram vestir uma saia depois de ver um dos seus alunos a ser gozado na sala de aula.

A dupla diz querer mostrar apoio ao jovem que foi gozado por usar uma t-shirt com uma personagem de anime.

O rapaz foi tão gozado que acabou por mudar de roupa, algo quer deixou o Manuel “horrorizado” e que o levou a usar uma saia durante todo o mês de Maio.

Numa publicação no Twitter, disse: “Uma escola que educa com respeito, diversidade, co-educação e tolerância.”

“Vistam-se como quiserem! Juntamo-nos à causa #clotheshavenogender.”

O colega professor José Piñas tem usado uma saia na escola desde o ano passado. Numa publicação no Twitter, ele disse que tinha anteriormente “sofrido perseguição” devido à sua orientação sexual.

Tweetou uma foto de si próprio a usar uma saia, e escreveu: “Há 20 anos atrás sofri de insultos pela minha orientação sexual no instituto onde agora sou professor.”

 

“Muitos professores, ignoraram e fingiram que não se passava nada.”

“Quero juntar-me à causa do aluno, Mikel, que foi expulso e mandado ao psicólogo por ter ido às aulas com uma saia.”

Os professores decidiram abandonar as suas calças por solidariedade a um estudante de 15 anos chamado Mikel Gómez, que usou uma saia para ir à escola no País Basco e foi mandado pelo seu professor, a um psicólogo.

Gómez fez um vídeo no TikTok para partilhar as suas experiências, que rapidamente se tornou viral, acumulando milhões de pontos de vista e incitando outros a irem à escola de saias para tentarem combater as normas de género.

Os professores foram elogiados pelos pais, com uma publicação: “Parabéns pela vossa atitude.”

“O secundário é por vezes muito difícil para os alunos, é preciso estar ciente disso e posicionarmo-nos sem rodeios para garantir a nossa segurança contra ataques como estes.”