Protestantes anti-confinamento queimam um centro de testes ao COVID-19

 

A Holanda implementou medidas rigorosas contra o coronavírus que começaram no dia 23 de Janeiro. Os oficiais do governo explicaram que o recolher obrigatório a nível nacional visa evitar um surto de casos de Covid-19, especialmente com a nova variante do vírus altamente transmissível detetada no Reino Unido.

Enquanto muitos cidadãos cumpriram a instrução, um grupo de protestantes que estão contra o confinamento causou o caos depois de destruir veículos da polícia e queimar um centro de testes para o Covid-19.

Isto aconteceu em Urk, uma aldeia piscatória na Holanda.

Não restou nada depois do centro de testes ter ardido.

De acordo com as autoridades locais:

“Não só isto é inaceitável, mas também uma chapada na cara, especialmente para o staff das autoridades de saúde locais que fazem tudo o que podem no centro de testes para ajudar as pessoas de Urk.”

 

O Presidente da Câmara de Urk, Cees van den Bos, disse que está “muito envergonhado com o que aconteceu. Queremos paz em Urk”. O Ministro da Saúde Hugo de Jonge também criticou o ato criminoso, acrescentando “O incêndio num centro de rastreio em Urk ultrapassa todos os limites”.

Vê por ti mesmo:

Entretanto, na cidade de Eindhoven, manifestantes entraram em conflito com a polícia, ateando fogos e atirando pedras aos agentes.

A polícia teve de de utilizar canhões de gás lacrimogéneo e de água. Pelo menos 30 protestante foram presos desde então.

O Ministro da Justiça Ferd Grapperhaus disse:

Isto não tem nada a ver com manifestações contra as medidas corona. Isto é simplesmente um comportamento criminoso; pessoas que atacam deliberadamente a polícia, jornalistas e outros trabalhadores humanitários”.