Robert Pattinson recusou-se a praticar um ato sexual com um cão quando estava a gravar o filme “Good Time”

 

Robert Pattinson recusou-se a praticar um ato sexual com um cão quando estava a gravar um filme, embora o realizador lhe tenha pedido que “o fizesse a sério”.

Nem mesmo o ator mais intenso e meticuloso deveria aceitar fazer tal coisa, e a estrela do Crepúsculo e do Batman recusou, com razão, o pedido do realizador.

Ao filmar o Good Time há alguns anos atrás, Pattinson recebeu o pedido bizarro para fazer uma cena em que ele estava na cama, a dormir ao lado do cão.

A sua personagem é um criminoso em Nova Iorque a lutar para salvar a vida do seu irmão no decorrer de uma noite.

Ao falar no Jimmy Kimmel Live! aquando do lançamento do filme, Pattinson explicou que a sua personagem tinha um amor peculiar por cães, e até acreditava que tinha sido um cão numa vida passada.

 

No entanto, revelou depois que as coisas foram longe demais para ele.

Disse a Kimmel: “Ele [a sua personagem Corey] pensa que tem controlo sobre animais e assim.”

“Há uma cena que filmámos em que um traficante de droga entra no quarto, e eu estava a dormir com o cão e basicamente a bater uma punh3ta ao cão”.

Prosseguiu, dizendo que o realizador, um dos irmãos Safdie, que foi codiretor do filme, disse: “Fá-lo de verdade, meu. Não sejas p*ssy”.

O treinador do cão estava menos interessado na ideia, dizendo a Pattinson para “massajar a parte de dentro das coxas dele”.

Até isso soa a um possível limite no abuso de animais. Além disso, é totalmente nojento.

Seja como for, Pattinson não tolerou a situação. Ele recusou-se a fazer qualquer uma dessas coisas e foi levado um pénis de cão falso para a cena.

De qualquer modo, pouco importou, porque a cena acabou por ser cortada e não foi incluída na edição final.

Pattinson acrescentou: “Foi divertido… vai estar nos extras do DVD”.