Vacina contra a COVID-19 pode colocar em risco meio milhão de tubarões

Muito se fala dos avanços na produção de uma ou várias vacinas eficazes e confiáveis contra a COVID-19 mas pouco sabemos o que se faz para obter os materiais necessários ao fabrico das mesmas.

 

Um grupo de conservacionistas da vida animal lançou agora um alerta, uma vez que supostamente, está a ser utilizado um elemento que se obtém dos tubarões para a produção da vacina e para essa extração, é necessário que meio milhão de tubarões morram para que possam existir vacinas para toda a população.

O esqualeno é um azeite de origem natural que se obtém do fígado do tubarão e de acordo com estes grupos, é utilizado para potenciar a efetividade da vacina, já que provoca uma resposta imune mais forte, o que seria bom caso o tubarão não tivesse de ser sacrificado. Dado que o mundo inteiro está à espera de vacinas, o número de sacrificados seria de 500.000, o que seria uma espécie de pandemia devastadora para eles.

A empresa britânica GlaxoSmithCline já utiliza o azeite no fabrico de uma vacina contra a gripe e as expectativas são de produzir pelo menos mil milhões de vacinas contra a COVID-19. De forma a terem uma ideia, para produzir uma tonelada de esqualeno, é necessário o fígado de 3.000 tubarões.

A verdade é que alguns investigadores já estão a trabalhar no fabrico de esqualeno sintético a partir da cana de açúcar fermentada mas ainda é algo muito precoce para as necessidades de hoje, ainda que fosse a melhor alternativa para salvar os tubarões.

Tinhas ideia da existência deste problema?

Fonte: EURONEWS