Vladimir Putin volta a assustar o mundo

 

Vladimir Putin disse que um míssil balístico intercontinental lançado na Rússia na quarta-feira, 20 de abril, vai servir de “alimento de reflexão para aqueles que pensarem numa invasão”.

O míssil, apelidado de Satan II, é o mais recente dos arrepiantes avisos do Kremlin, e consta-se que o projéctil é capaz de disparar até 12 ogivas nucleares de uma só vez.

A arma, que alegadamente pode percorrer 9567 quilómetros, dispõe de tecnologia de evasão de mísseis e pode ter como alvo uma área do tamanho da França.

De acordo com o Mirror, o míssil foi lançado no cosmódromo de Plesetsk no noroeste da Rússia e atingiu um alvo localizado no leste do país. Quando Putin foi informado sobre o lançamento do míssil durante uma aparição na televisão, aclamou o míssil como sendo “capaz de superar todos os meios modernos de defesa anti-míssil”.

 

Putin explicou: “O novo complexo tem as mais altas características tácticas e técnicas e é capaz de superar todos os meios modernos de defesa anti-míssil”.

“Não existe análogo no mundo e não vai existir por muito tempo. Esta arma verdadeiramente única irá reforçar o potencial de combate das nossas forças armadas, garantir a segurança da Rússia contra ameaças externas e fornecer alimento para reflexão àqueles que, no calor da retórica agressiva e frenética, tentam ameaçar o nosso país”.

A Reuters observa que embora o lançamento de testes de quarta-feira não seja uma surpresa – uma vez que o míssil está em desenvolvimento há anos – ele surge num “momento de extrema tensão geopolítica”.