XANFRA EM COMA: Mãe dá à luz o segundo maior bebé no Reino Unido

 

Uma mãe deu à luz uma criança que se crê ser a segunda maior menina alguma vez nascida no Reino Unido, pesando 12lb 14oz.

Quando a primeira vez que a mãe Amber Cumberland, de 21 anos, esteve grávida da bebé Emilia, a sua barriga era tão grande que os médicos pensaram que ela tinha um gémeo secreto.

Mas quando ela deu à luz era só uma menina de 12lb 14oz, pensa-se ser a segunda maior menina no Reino Unido – depois de um bebé que bateu o recorde de nascimento em 2012, que pesava 14lb 4oz.

Amber, de Aston em Oxfordshire, disse: “Os médicos pensavam que eram gémeos durante a gravidez porque ela era tão grande, embora só pudéssemos ver um nas ecografias.”

“Ouvimos tanto que começámos a acreditar que havia outro escondido ali.”

“Tornou-se um jogo quando íamos ao supermercado para ver se alguém fazia algum comentário sobre o tamanho da minha barriga e faziam sempre.”

“Quando ela nasceu, a cara do Scott estava branca e todos os cirurgiões estavam a olhar uns para os outros em choque e a rir – eles trouxeram-na até mim e disseram: “Parabéns, teve um bebé”.”

“Ficamos tão contentes por ter sido apenas um bebé e por ela ser saudável”.

Emilia atingiu o tamanho médio de um bebé de 36 semanas no seu scan de 32 semanas, e foi estimado em 8lb 12oz num scan de crescimento extra de 36 semanas.

Ela estava quase duas semanas atrasada quando induziram o parto, passando 24 horas em trabalho de parto até terem que fazer uma cesariana de emergência.

Scott Joy, de 22 anos – que é o parceiro de Amber e o pai de Emilia – só foi autorizado a entrar quando ela estava em trabalho de parto ativo, o que significa que ele passou um total de 42 horas no parque de estacionamento do Hospital John Radcliffe durante três dias antes do nascimento.

 

Amber disse: “Cheguei a ter oito centímetros de dilatação e ela não podia ir mais longe – se ela descesse mais, eles não a conseguiam tirá-la e ela ficava presa.

“Durante a cesariana, foram precisas duas pessoas para a levantar e uma para segurar tudo para a tirar de lá.”

“Toda a roupa que trouxemos não lhe servia, mas felizmente tínhamos algumas roupas sobresselentes de 0-3 meses na mala e o pessoal do hospital teve de arranjar fraldas maiores da pediatria para nós.”

“Os enfermeiros do hospital até ficaram no hospital para ver o peso do bebé e tirar fotografias com ela porque ela era tão grande.”

Amber continuou: “A barriga era tão grande que fiquei com muitas estrias e a minha pele estava tão fraca por estar esticada que sangrava se eu me levantasse demasiado depressa.”

“Os meus músculos do estômago rasgaram-se completamente ao ponto dos médicos mal conseguirem distingui-los durante a cesariana e disseram que eram os piores que já tinham visto.”

“Também tinha uma ciática horrível e nervos comprimidos nas ancas e nas pernas por causa do peso dela e nem sequer conseguia virar-me na cama sem o Scott para me ajudar.”

Pouco mais de uma semana após o parto, Amber começa a sarar, mas é de esperar que a recuperação total demore algum tempo.

“Ainda estou tão desconfortável como quando estava grávida, mas sinto-me muito mais leve e não tenho mais nervos presos, pelo que estou muito grata” – disse ela.

“Estamos ambos muito contentes com a nossa linda menina.”